Sistema imune pode afetar cáries e restaurações?

O sistema imune é o responsável por manter o organismo saudável e livre de patógenos. Embora o seu mau funcionamento possa causar problemas, como é o caso das doenças auto-imunes. Um estudo conduzido na Universidade de Toronto dá indícios de que os neutrófilos estejam envolvidos na progressão da cárie e falhas precoces em restaurações de resina. “Ninguém acreditaria que nosso sistema imune teria um papel na formação de cáries,” disse o pesquisador que liderou o estudo, Dr. Yoav Finer, professor da Faculdade de Odontologia da Universidade de Toronto. “Agora nós temos evidência”.

célula neutrófilo
Simulação computadorizada de uma célula de neutrófilo.

Os neutrófilos são células imunológicas de vida curta  que constituem a primeira linha de defesa celular do organismo contra agressões externas. Eles entram na cavidade oral predominantemente através do sulco gengival. Ocupam, portanto,  áreas adjacentes à dentina radicular e à interface dentina-restauração, como nos casos de restaurações classe II e classe V. Uma possível ação prejudicial dos neutrófilos pode afetar dentina e matriz resinosa de restaurações, os dois componentes principais da interface dente-restauração. “Este estudo fornece um achado significante nos campos de biomateriais e saúde bucal, por identificar uma potencial fraqueza nos atuais procedimentos restauradores e materiais usados para lidar com lesões de cárie proximais e cervicais ou subgengivais.”, relata o artigo.

Lesão cariosa cervical
Lesões cervicais estariam particularmente suscetíveis à ação deletéria dos neutrófilos.

O estudo teve por objetivo medir a atividade de enzimas secretadas pelos neutrófilos e seu efeito  deletério sobre compostos resinosos e colágeno dentinário (que compõe 90% da matriz orgânica da dentina), baseado na conhecida atividade proteolítica e catabólica  dessas células. Vale ressaltar que o estudo mediu atividade de neutrófilos sobre dentina previamente desmineralizada, e não íntegra. Os autores argumentam que a coexistência de bactérias cariogênicas e neutrófilos poderia resultar em exarcebada degradação da dentina. Através da ação complementar de ácidos provenientes das bactérias, a dentina atacada teria exposta sua estrutura de colágeno, sofrendo a atividade proteolítica dos neutrófilos.

sistema imune: neutrófilos e cárie
Resumo gráfico fornecido pelos autores do estudo do possível papel de neutrófilos na formação de cáries e falhas em restaurações.

“Corroborando estudos anteriores conduzidos pelo grupo, a pesquisa poderia também poderia explicar porque tantos pacientes cujos dentes são tratados com restaurações estéticas se deparam com altas taxas de recorrência da doença. A maioria das restaurações de resina falham dentro de 5 a 7 anos, custando aos canadenses um valor estimado de 3 bilhões de dólares por ano.”, informa a página da Universidade de Toronto que apresenta a pesquisa.

O estudo intitulado “Human neutrophils degrade methacrylate resin composites and tooth dentin” foi publicado em 1° de abril de 2019, no volume 88 da Acta Biomaterialia. Foi financiado pelo Instituto Nacional de Saúde dos Estados  Unidos, pelo Instituto Canadense de Pesquisa em Saúde, pela Fundação para Inovação do Canadá e pelo Fundo de Pesquisa do Ministério de Pesquisa e Inovação de Ontário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *