Por que não há pessoas sorrindo em quadros antigos?

Seja no período bizantino, no renascimento ou no iluminismo francês, é difícil encontrar quadros de pessoas sorrindo.

Obras sorrindo faceapp
Transformações feitas com o aplicativo FaceApp pelo designer Olly Gibbs

E o motivo não é porque as pessoas eram mais mal humoradas. Antes do advento da fotografia, por exemplo, para se fazer qualquer registro da imagem de uma pessoa se recorria às pinturas. Por mais habilidoso que o artista fosse, não era possível capturar uma fisionomia sem gastar algumas horas. Bem, enquanto isso o modelo teria que ficar muito bem parado, num local só. Qualquer um que já teve que sustentar um mesmo sorriso por apenas alguns segundos sabe que um semblante sério é bem mais prático nessas horas.

 

pintura egípcia
Retrato realista egípcio de algumas décadas antes de cristo

 

 

Possível retrato de Cristóvão Colombo
Possível retrato de Cristóvão Colombo

 

A obra mais famosa de todos os tempos mostra o mais perto que chegávamos de um sorriso, em uma obra de arte antigamente.

mona lisa e o meio-sorriso
Mona Lisa, concluído por Leonardo da Vinci, em 1506

Essa forma de “meio-sorriso” inclusive era bastante utilizada por artistas por permitir diversas interpretações a cerca do estado de espírito do personagem retratado. Tédio, serenidade, embaraço, flerte… o sorrisinho era um curinga da expressão facial.

Jean Jacques Rousseau
Jean-Jacques Rousseau e seu meio-sorriso, por Maurice Quentin de La Tour, em 1753

Daí surgiu a fotografia. Mas mesmo as primeiras tomadas exigiam pelo menos 10 minutos de exposição do objeto a ser fotografado. Fotografias de longa exposição só registram perfeitamente objetos parados, como acontece até hoje. O primeiro ser humano a ter um registro fotográfico só estava lá na imagem porque estava engraxando seus sapatos no momento. A foto foi feita por Louis Daguerre e mostrava uma rua de Paris. Todas as pessoas que passaram por lá no momento da foto não ficaram na imagem (inclusive o engraxate).

primeira foto de pessoa
Primeira pessoa a ter um registro fotográfico, em 1838

 

Então a saga dos dentes escondidos continuou:

primeiro auto-retrato
Auto-retrato de Robert Cornelius, em 1839. Atrás da foto está escrito: “A primeira imagem de luz tirada”

Tudo bem. Até agora só falamos um motivo. Não explica porque, por exemplo, naqueles famosos retratos pintados do nordeste brasileiro, quando o artista retocava manualmente as imagens adicionando joias ou vestimentas elegantes, um bom sorriso aberto ainda era tão fora-de-moda. A fotografia em si já era tirada instantaneamente. Porque as pessoas insistiam em não sorrir? Aí entra o fator Odontologia.

retrato pintado
Em um típico retrato pintado nordestino não é muito comum ver gente sorrindo

Acontece que até a chegada dos anestésicos locais os métodos de sedação eram bem ineficientes e o barbeiro-cirurgião (o ancestral direto do dentista) não tinha muitas opções de tratamento que não fosse a extração do dente injuriado. A preocupação em repor dentes ou preencher cavidades remonta à antiguidade, porém o resultado estético não era lá muito satisfatório.

dentadura de George Washington
George Washington usava isso quando se tornou o primeiro presidente dos Estado Unidos, 1789

De forma resumida, até o século XX as pessoas não tinham lá muito orgulho de exibir os dentes. Eles eram, no geral, feios. Por mais bela que fosse a pessoa, quando abrisse a boca havia uma grande chance de exibir um conjunto de diversas cavidades de cáries, espaços vazios e/ou verdadeiras paredes de tártaro. No século XX surgiu a Odontologia como a conhecemos e trouxe não só a eficiência dos anestésicos locais, como a disseminação dos métodos de prevenção, a tecnologia restauradora e diversos outros aliados da saude bucal. E o sorriso aberto entrou finalmente em moda.

Carmem Miranda sorrindo
Carmem Miranda e a imagem do brasileiro como um povo alegre e sorridente

A evolução da Odontologia e dos cuidados com a boca foi o que de fato permitiu o registro de pessoas sorrindo e o sentimento de felicidade nas mais diversas formas de arte, seja em pinturas, fotografias ou filmes. Diga xis!

olha a selfie
Olha a selfie!

 

Esse post foi inspirado na palestra do dentista sul-africano Miguel Stanley para o TEDx SOAS, que pode ser assistida aqui.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *